O Eu profundo e os outros Eus


“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.”

Meus jovens amigos, talvez jovens demais, ou não, para a indicação de leitura que farei desta vez. Como vocês podem ver pelos versos acima, vou falar desta vez sobre um livro de poesias que tem como título “O Eu profundo e os outros Eus”. Livro este de um dos maiores poetas da língua portuguesa, Fernando Pessoa.

Em indicações passadas eu havia deixado algo sobre filosofia, O Mundo de Sofia, e também algo sobre a história das religiões, A Viagem de Theo. Agora gostaria de mostrar para vocês aquilo que penso ser o “supra-sumo” da capacidade humana em se expressar, a poesia! Com isso quero dizer que, apesar de eu ter certa facilidade com a linguagem filosófica/histórica, penso que é na poesia que o homem consegue se elevar quase que ao divino. Um poeta, como o fantástico Fernando Pessoa, consegue “fingir tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente.”! E isso é fantástico e só a poesia pode proporcionar. Um filósofo necessitaria de todo um tratado, muitas vezes tão complexo que poucos entenderiam, para dizer exatamente isso que o poeta nos apresenta de forma tão sublime, porque tão simples!

É por isso que nesse mês de março, o mês das mulheres, e talvez influenciado pela sutileza feminina, eu tenha resolvido indicar-lhes a leitura de uma obra de poesia. Mas não uma obra qualquer. Esse livro reúne uma seleção dos textos mais representativos deste grande poeta português. E veja, como já disse acima, ele escreveu em nossa língua materna, o que torna sua poesia muito mais próxima de nós, pois não existe a  interferência de um tradutor, e isso é fundamental para a poesia.

Em “O Eu profundo e os outros Eus” vocês encontrarão um pouco das poesias assinadas pelo próprio Fernando Pessoa, e também algumas daquelas “escritas” por seus heterônimos, ou seja, por autores “fictícios” que Fernando “inventou” para criar suas poesias. Confesso aqui que dos heterônimos o que mais gosto é “Álvaro de Campos” e, principalmente, seu poema intitulado “Tabacaria”, por onde, graças a um grande professor na Universidade, fui apresentado a esse magnífico poeta!



Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Tabacaria – Fernando Pessoa.




                   Ouça o poema completa na voz de Abujamra!


Espero que gostem da leitura. Eu sei que alguns poderão dizer que vocês ainda são muito jovens para serem apresentados ao poeta! Mas se eu não tentar, como vou saber se vocês estão prontos ou não para viajar nas linhas e entrelinhas do “O Eu profundo e os outros Eus”! É por isso que prefiro arriscar, afinal, quem sabe ....

Caso você não queira, ou não possa, adquirir, ou emprestar, esse livro, ele pode ser baixado, ao menos um trecho, gratuitamente na internet, pois já é de domínio público. Deixo, abaixo, o LINK para fazer o download. Boa Leitura !


Link para o download:



Copyright© 2010-2020 HISTOSOFIA - modelo por Jason Morrow