2

Um salto gigantesco para a humanidade


Caros amigos. Já há algum tempo que não tenho postado aqui em nosso blog. Isso se deve ao fato de que é humanamente impossível viver plenamente em nosso mundo dito “real” e da mesma forma neste novo mundo chamado de “virtual”. Isso pelo menos da forma como somos constituídos hoje. O pouco tempo que temos para realizar ambas as tarefas acaba por fazer com que ou uma ou a outra fique em “segunda mão”. Por isso acabo normalmente optando por “viver” da melhor maneira possível em nosso velho mundo “real”. Mas às vezes um fato faz com que apareça novamente neste nosso espaço para dizer algumas palavras sobre aquilo que me parece importante. É o caso hoje da morte do astronauta Neil Armstrong.

Para quem não sabe do que estou falando deixo um link sobre o assunto: “Neil Armstrong, primeiro homem a pisarna Lua, morre aos 82 anos nos EUA”. A morte do primeiro homem a pisar na lua me fez pensar sobre a famosa frase dita por Neil naquele momento: "Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigantesco para a humanidade”. Nela estava implícito o sonho de que a partir daquele instante o homem realmente passaria a conquistar o espaço, e que dentro de algumas décadas, no máximo, nossa vida seria muito parecida com a apresentada no desenho animado dos Jetsons. Mas isso não ocorreu. Passado mais de uma década do século XXI o homem não deu mais nenhum “pequeno passo” no sentido do espaço.

Neste momento você pode objetar que a recente chegada de um veículo exploratório em Marte contradiz a minha tese. Mas eu diria, então, que é inegável o nosso avanço no sentido de levarmos máquinas para fora de nosso planeta, mas que isso, ainda, não é mais um passo da humanidade. É claro aqui que por mais que possamos enviar máquinas fantásticas para o espaço elas nunca substituirão realmente a presença humana nestas viagens. Pelo menos não enquanto elas forem “meramente máquinas”. Mas e por que quase 50 anos depois desta conquista o homem aparentemente “parou” de dar seus passos no Universo? A resposta, com certeza, não é simples.

Para não me alongar, afinal esse mundo virtual não é muito afeito a grandes textos, poderia ao menos dizer que a nossa “parada”, por assim dizer, pode ser explicada por quatro fatores. Primeiro, pelo enorme risco que os humanos correm ao sair de nosso planeta. Manter a vida terrestre no espaço sideral é muito mais complexo do que a viagem da Apolo 11 pôde deixar transparecer. Segundo pelos custos. Não somos uma “federação humana”, como aparece em alguns filmes de ficção, onde os custos de pesquisa e construção de tais projetos seriam justificados pelo “avanço do conhecimento”. Pelo contrário, como vivemos em um modelo capitalista onde tudo tem que virar lucro para abastecer a máquina, ir ao espaço, sem uma “Guerra Fria”, fica realmente complicado. Terceiro, talvez não queiramos. Com isso quero dizer que o crença no metafísico acaba por fazer com que muitas pessoas vejam nessa empreitada algo que desafia uma certa “vontade superior”, e que por isso mesmo a própria viagem de Armstrong é colocada em xeque como sendo uma farsa. Para comprovar o que digo basta olhar os comentários que foram feitos na matéria que indiquei no link logo acima. E por último, talvez não precisemos realmente ! Como dito, as máquinas têm feito um bom papel na substituição do homem na busca da “fronteira final”. É verdade que foi dito que elas nunca substituirão a presença deste mesmo homem nesta fronteira, mas talvez, elas possam fazer melhor.

Para exemplificar esse último ponto permitam-me a reprodução de um trecho de um livro de um pesquisador brasileiro que trabalha com a integração máquina/humano. O livro tem como título “Muito além do nosso eu”. Nesta passagem o autor Miguel Nicolelis permite-se uma “vigem” para o futuro e imagina o dia em que o corpo biológico humano não será o único a “mostrar” a realidade para o nosso cérebro.

No futuro, o que hoje soa como inimaginável se tornará rotina, pois o ser humano, com suas faculdades mentais amplificadas, certamente terá acesso e fará sua presença ser sentida numa variedade de ambientes remotos e até mesmo inóspitos, através de emissários que tomarão o formato de ferramentas artificiais sofisticadas, robôs humanoides ou mesmo avatares virtuais, todos controlados única e exclusivamente pelo pensamento de seu mestre. Das profundezas mais escuras dos oceanos deste planeta azul aos confins explosivos e cheios de luz de supernovas, por entre as pequenas ranhuras do espaço que existe entre as células de nosso próprio corpo, o alcance da mão virtual da humanidade enfim se equiparará à ambição insaciável de nossa mente de explorar e decifrar o desconhecido. Nesse contexto, nosso cérebro de primata terá a oportunidade Única de concluir sua odisseia épica de emancipação desse já obsoleto corpo humano que ele habitou por milhões de anos a fio, por meio da utilização proficiente de interfaces controladas pelo pensamento, que operarão, por exemplo, uma miríade de nanoferramentas, construídas para servir como nossos olhos e nossas mãos durante a exploração de mundos que até então pareciam fadados a nunca testemunhar nossa presença. Mundos feitos de pequenas massas de átomos ou bolas de células, aos quais nosso corpo jamais teria acesso, passarão a receber a visita de nossos pensamentos, que, sem restrição ou hesitação, passarão a transitar, sem impedimento, por todos os recantos que a olho nu somos incapazes de vislumbrar.

Assim, quem sabe, o homem possa dar mais um “salto gigantesco para a humanidade” !

2 comentários :

  1. Professor... Que delícia poder desfrutar de um texto escrito por você. Já que desapareceu do facebook e "re-perdemos" o contato resolvi buscá-lo no blog... E te achei!!! Tenho novidades,

    Um abraço

    Kelen Munhoz

    ResponderExcluir
  2. Educador, Feliz dia dos Professores!

    Apesar das dificuldades existentes na profissão, é gratificante fazer parte da construção do saber de uma outra pessoa.
    Os Educadores Multiplicadores agradecem por sua colaboração e participação no aprendizado dos brasileiros.

    http://www.marquecomx.com.br/
    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/

    Os Professores/Educadores construíram o passado, executam o presente e projetam o futuro do país!
    Fiquemos na Paz de Deus e até breve.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo !! Aqui é o lugar onde você pode dizer o que pensa sobre o que acabou de ler em nosso artigo !!

Porém:

- Capriche no português.
- Identifique-se ! Quero poder agradecer a participação.
- Evite palavrões ou palavras que tenham duplo sentido.

Copyright© 2010-2017 HISTOSOFIA - modelo por Jason Morrow